As Visões de Fanny Moisseiva

As Visões de Fanny Moisseiva

Resultado de imagem para As Visões de Fanny Moisseiva

Em 1928, aconteceu um fato extraordinário com uma russa de nome Fanny Moisseiva, que sendo hospitalizada foi dada por morta. Ela só não foi enterrada, porque um médico amigo percebeu que a temperatura do corpo dela não baixava. E assim ela permaneceu por nove dias em profundo sono letárgico. Durante este tempo, ela foi levada a visitar, o Céu, o Purgatório, o Inferno, e ainda teve a visão do Fim do Mundo, da Vinda Gloriosa de Jesus e do Juízo Universal, e deles faz a descrição.Minha breve experiência na eternidade e o que eu vi

Por Fanny Efimovna Moisseieva

IV. Minha breve experiência na eternidade e o que eu vi

Parte I – Vida da Alma após a Morte do Corpo

Por ordens do Dr. Tastari fui obrigada a ser hospitalizada durante março de 1928 em um hospital católico no município de Hankow para descansar. No 5º dia da hospitalização sofri um ataque cardíaco muito doloroso e então desmaiei. Quando despertei, implorei ao Doutor por ajuda. Acalmou-me com medicação, mas naquela noite quando a empregada trouxe meu jantar, encontrou-me imóvel como se estivesse morta. Esta relatou à enfermeira da ala que chamou o médico de plantão e após seu exame declarou-me morta.

Após ser lavada fui colocada numa mesa e coberta com um lençol. Um atendente chinês encontrou algumas flores e colocou-as ao meu lado.

No dia seguinte o Dr. Tastari foi informado da minha morte e foi ao necrotério. Levantou minhas pálpebras e concluiu que eu não estava realmente morta e ordenou que eu fosse colocada num quarto bem aquecido. Três dias se passaram sem que meu corpo mostrasse nenhum sinal de mudança e isso indicava que eu estava em coma. Este estado de coma durou nove dias, tempo este em que não tive nenhuma alimentação e nenhum medicamento. Não tinha pulso nem as batidas do meu coração e minha respiração era inerte.

Por volta das 19:00 horas da décima noite, acordei, estiquei braços e pés e observei que estava num pequeno quarto, sendo curiosamente observada pela equipe de funcionários do hospital. Não sentia nenhuma dor, apenas acordando de um sono normal. Sentia, entretanto, um bem-estar em meu corpo. Quando os assistentes me viram sentar saíram correndo desordenadamente do quarto.

Não entendendo o que estava acontecendo pensando tratar-se talvez de fogo eu saí correndo depois deles no corredor, mas estando muito fraca tive que me apoiar no peitoril da janela. Então fiz sinais que estava com sede, pois havia perdido minha voz, mas ninguém veio me ajudar, apenas me espiavam pelas portas entreabertas. Estando fraca e trêmula não compreendia porque haviam me transferido de uma grande ala do hospital para este pequeno quarto.

Devia ter tido um sono muito profundo. A esta altura a notícia havia alcançado a Irmã da enfermaria que me encontrou sentada junto ao peitoril em condição debilitada. O médico de plantão foi notificado e fui colocada em uma cama morna para ajudar minhas condições. Pela graça de Deus Onipotente fui salva de ser enterrada viva. Mais tarde chegou o médico que me atendeu durante o ataque cardíaco, verificando que estava fora de perigo e descansando.

Então uma estranha sonolência apoderou-se de mim e adormeci, mas não poderia ser chamado de sono. Senti um entorpecimento, um relaxamento físico e um estranho sentimento de duplicidade do meu ser. Não posso explicar exatamente como era, mas senti uma duplicação do meu ser e estava assustada. Nunca havia experimentado sensação tão estranha, pensamentos sucedendo-se rapidamente como ondas de uma tempestade que se move mais adiante.

Meu corpo começando a desobedecer-me, meus braços paralisados e apesar de tudo isto, resisti e tentei lutar duramente pela vida. Não podia mover-me, nem mesmo respirar. Isto é o fim, pensei, então de repente um frio percorreu minhas costas, senti uma separação (do meu corpo) e reduzida a nada pensei que não mais existisse. Não posso dizer quanto tempo isto durou, quando tudo passou, eu me encontrava no meio da enfermaria.

Transformada por uma força desconhecida em uma luz e em um ser celestial, (aqui a autora tentar passar a ideia de ser transformada num ser etéreo, isto é, que preenche os espaços sem ser matéria) pouco antes, quando estava na cama.

Senti-me libertada de uma roupa pesada que estava usando. Involuntariamente eu abaixei meus olhos e me vi completamente despida. Então levantando meus olhos eu vi todos os pacientes restantes adormecidos, eu estava envergonhada virei para minha cama para deitar e me cobrir, num último esforço de minha letargia, eu me vi deitada imóvel e supostamente morta. Isto me surpreendeu, pois estava ali em pé e ao mesmo tempo estava imóvel na cama.

Imediatamente minha consciência me avisou que tinha começado uma outra existência e a palavra “morte” soou boba e inconsequente.
Senti claramente que a morte não existe e que a vida não para mas continua. Meu corpo parecia morto, mas eu não lamentava isto de maneira alguma, somente tinha piedade e medo do que eu tinha sido.

Aonde eu irei? O que farei com minha eternidade? Sentia minha audição mais “afiada”, sensível ao menor ruído. Minha vista era forte e penetrante. Vi tudo em uma nova luz muito distinta. Da janela vi pessoas jovens, luminosas, voando, vestidas de branco e com suas cabeças cercadas por uma luz dourada. Cercaram-me, esperando por algo. Ao mesmo tempo uma multidão de espíritos malignos, repulsivos e feios apareceram na enfermaria. Suas caras desagradáveis refletiam a perversidade e com contorções e murmúrios encheram a enfermaria.

Então com horror vi seus olhos penetrantes focados em mim enquanto avançavam em minha direção. Gritei com terror. Instantaneamente a enfermaria ficou iluminada e alguém me cobriu com um hábito claro e perfumado. Pegando-me pela mão ele disse: “Não tenha medo, enquanto você estiver comigo eles não lhe tocarão!”. Mesmo porque eles já tinham desaparecido, no momento em que a luz entrou, mesmo eu não sabendo como. A voz então continuou: “Você é de nossa família, enquanto eles não têm nenhum de nós. Eu vim lhe mostrar a verdade do que existe e do que virá a acontecer”.

I. Satanás rebelado contra Deus

Imagem relacionada

Então nós começamos a subir. Em um instante a cidade desapareceu e meu companheiro disse: “Agora você viu como a vida passa do mundo para esta da eternidade, as almas dos justos e as dos pecadores”. Eu vi como os espíritos do mal lutavam pelas almas dos pobres pecadores miseráveis que estavam tremendo de medo, enquanto os anjos bons ficavam à distância, as pobres almas esticavam seus braços pedindo por eles, mas em vão. Por outro lado, eu vi entre hinos e cantos jubilosos, os anjos conduzindo para o Paraíso as almas dos justos.

“Por que estes estão no mundo, os espíritos bons e maus? – perguntei a meu companheiro. Ele me explicou que no começo Deus criou o mundo espiritual, com anjos imortais e deu-lhes o livre arbítrio para viver feliz ao Seu lado ou para abandoná-Lo se assim quisessem. Alguns deles revoltaram-se contra Deus com ingratidão por tudo que Ele tinha feito, o que despertou Sua ira e assim estes foram levados para longe de Sua presença, já que não eram dignos de apreciar a felicidade do paraíso. Ele amaldiçoou o arcanjo que começou a revolta, chamando-o, diabo, Satanás.

Uma vez levados para fora do paraíso, os anjos caídos perderam sua santidade e assumiram uma natureza feia e horrível e se refugiaram em diferentes planetas privados da graça do Deus. Alguns caíram na terra, tornando-se inimigos eternos de Deus, e começaram então a ensinar a desobediência e toda maldade e perversidade a todas criaturas de Deus. Eu estou lhe dizendo a verdade divina e universal, Deus viu as dificuldades dos homens na terra, os quais estavam completamente sob a influência de Satanás, sem nenhuma esperança de algum dia alcançar o paraíso.

Então para a salvação da raça humana, Ele enviou para a Terra, seu filho primogênito (o Deus invisível e o Espírito Santo, assim como o sol provê a luz e o calor invisíveis!).

II. Os pecadores sempre temeram a morte

Resultado de imagem para moribundo

Enquanto nós falávamos nos aproximamos de uma grande cidade e um pouco mais tarde estávamos na casa de um pecador que estava morrendo. Por três dias ele era atormentado em sua agonia de morte e sua alma não se separava de seu corpo. Sem nenhuma piedade para o moribundo no quarto ao lado havia uma festa de bêbados soltando blasfêmias e sacrilégios. Vi um grupo de anjos tristes esperando à distância que o homem que estava morrendo pudesse clamar pela misericórdia de Deus. Mas, oh! Senhor, a esperança dos anjos foi em vão, e estes desapareceram. Então os espíritos maus tomaram conta completamente e meu companheiro disse: “A hora da morte deste pecador chegou. Coberto pelo pecado, como ele é, não entende quão terrível é a sua situação e não imagina para onde sua alma irá, só consegue pensar em si mesmo”.

Estava sempre correndo, sempre procurando algo, perseguindo seus sonhos fúteis e cometendo todos os tipos de pecado. Mas se ele considerasse a sua pecaminosa vida ele saberia que isto o separaria de Deus e então ele não morreria em pecado levando consigo para a eternidade sua desobediência e contínua revolta contra Deus.
O pecador morreu murmurando palavras horríveis e insensíveis. Os seus olhos fixos no além sem saber para que ele viveu no mundo. Repentinamente eu vi um horrível espírito do mal se aproximando do homem morto com uma maliciosa voz dizendo: “Você é meu!”. O moribundo com um tremor frio e assustador e com um último sopro ofegante, morreu. Ele estava morto e então o espírito do mal partiu com sua alma. Involuntariamente, pensei se no momento eu parecia com aquela alma que acabara de se separar do seu corpo. Olhei para minhas mãos e meus pés e percebi que eles tinham somente o formato corporal, mas feitos de algo inconcebível ao ser humano. O silêncio era completo.

Os bêbados ao lado haviam parado de fazer barulho e se aproximaram do homem e o chamavam, mas este jazia morto. Nas suas faces podia-se ver o ar de terror que ia se formando. Abandonaram então a casa e saíram para a rua, deixando o morto só. Perguntei ao meu companheiro: “Por que as pessoas temem o morto, mesmo sendo um parente ou alguém querido?”

Ele respondeu, “Por que para os humanos, a morte é algo terrível, um mistério impenetrável e eles pensam que no momento da morte, o morto não mais pertence a esse mundo e instintivamente, sentem que seus espíritos podem ainda estar perto dos seus corpos e temem que a aparição da sua alma possa acusá-los, e conseqüentemente temem a morte, o que poucas pessoas entendem.

Assim se a alma existe, então temem que ficarão face a face com seus pecados, e com sua própria morte, o que será inevitável, e merecerão punição. Temem a morte, mas não temem a Deus”. “Pelo contrário, os bons não temem a morte porque amam a Deus em seus corações. Agora você vê que sua alma é imortal e continua a existir e quão errado é duvidar da imortalidade da alma. Por outro lado, aparições de almas de pessoas mortas não são raras. Tem havido muitas aparições de santos e milagres feitos por eles, por esta razão eles deveriam acreditar na imortalidade da alma. Venha, deixemos esta casa”

“Porque todos não são felizes no mundo?” Eu perguntei a ele, “E porque há tantas pessoas ricas e outras em terrível miséria?” E ele respondeu: “A vida na Terra é apenas um lugar temporário e os homens são auxiliados no mundo. Deus em Sua infinita sabedoria tem dado aos homens inteligência e vontade de escolher entre o bem e mal, e assim esta escolha será responsabilidade de cada um. O rico terá mais problemas segundo o Evangelho, no qual Jesus diz: “É mais difícil para um homem rico entrar no reino de Deus do que um camelo passar pelo buraco de uma agulha”.

Sem dúvida, os ricos são ”forçados”, são mais tentados a pecar pelos prazeres e confortos que os envolvem, do que os pobres e assim os preceitos do seu Criador são mais e mais ignorados. Se os ricos são bons, piedosos e praticam sua fé, é certo que sendo gratos a Deus por Sua generosidade Onipotente para com eles, serão bem recebidos no Paraíso. Assim era com Abraão que foi abençoado com opulência, com empregados e ovelhas e todos os bens de seu tempo. Ele os desfrutava e também era fiel aos Mandamentos. Deus estava satisfeito com ele, abençoava-o e o favorecia acima de outros homens mostrando a ele a Trindade Santa na forma dos três peregrinos.

Nosso Senhor Jesus Cristo em uma de Suas parábolas relatou como os anjos carregaram o pobre e piedoso Lázaro para o seio de Abrão. Deus estava muito satisfeito com Abrão que era um homem bom e virtuoso e assim foi recebido no Reino dos Céus. Por sua vez o pobre não merece entrar no Paraíso a menos que ele pratique a caridade para com seu próximo. Então ele poderá contemplar as maravilhas do Céu.

III. Um Cientista verdadeiro nunca é ateu

Quando voamos sobre uma grande cidade, observei povos de nacionalidades diferentes e também de cores e raças diferentes. “O que é a origem desta diversidade de seres humanos?” E ele respondeu: “Depois que Deus criou os três reinos dos animais, pássaros e dos peixes, Ele criou o homem à Sua imagem e semelhança, Adão e Eva. Dos seus descendentes, diferentes partes do mundo foram povoadas. Desde a criação do mundo, muitas mudanças ocorreram por vontade de Deus.

Muitos continentes estavam debaixo d’água e surgiram na superfície. Todas essas mudanças refletiram, gradativamente, nos povos que viviam em diferentes partes, alguns pensando que eram os únicos seres humanos da Terra. Separados por mares e oceanos, tinham se esquecido que outros existiam. O clima também mudou e aqueles que viviam em zonas tórridas foram protegidos.
Deus fez suas peles pretas, vermelhas ou amarelas, de acordo com as condições climáticas em que viviam, como também diferenças em suas idéias e línguas. Deus desejou que todos O conhecessem e Lhe obedecessem”.

Voando sobre uma grande catedral eu percebi um feixe de luz dourada emanado da cúpula. “O que é isso?” Perguntei. Ele respondeu: “São as orações durante a elevação da Hóstia Consagrada e do Vinho Sagrado. No mais solene momento da Missa as orações se elevam diretamente a Deus e trazem muitas graças às almas tão diletas de Deus. Não há ação ou palavra que possa ser comparada com o solene momento, quando a glória e o louvor sobem até a Trindade Divina, beneficiando simultaneamente os vivos e os mortos”.

“Se uma pessoa ama a outra, ela naturalmente deseja tudo de bom para seu amigo. Mas somos imperfeitos, e não importa quão bem desejamos aos outros, especialmente se ele ou ela está longe, invocamos a graça de Deus, que sendo somente bondade e amor ajudará seus amigos, dependendo do quanto imploramos por essas graças. Deus as garante através de nossas preces, especialmente oferecidas na elevação das Sagradas Espécies.

A oração nos guia para o caminho correto, nos encoraja e salva, de fato a oração é indispensável à alma. Ela fortalece a nossa fé e nos ajuda nas batalhas contra as adversidades. A oração inspira esperança e confiança em Deus e os olhos daqueles que rezam, vêem a bondade de Deus em tudo e em todos”.

“Aqueles que não rezam e que não sentem a necessidade da oração ou das coisas santas, acabam se privando do Espírito Santo. Então os espíritos do mal tomam posse deles, os cegam de tal maneira, que estes perdem sua dignidade de tal forma que a graça não pode penetrar, trazendo ódio, medo e raiva contra Deus. Esquecem ou não pensam nas suas mortes e nos seus julgamentos. O espírito do mal tenta o homem a andar nos seus caminhos e a simples menção de Deus é desagradável a ele. E o homem acaba por acreditar que não existe Deus e que o mundo é suficiente para ele.

Não acredite em ateus, deixe a eles suas próprias opiniões, mas saiba que eles são a sugestão do mal”. Cidades têm sido desenterradas, após terem sido enterradas por milhares de anos. Isto prova que Deus os tem punido por sua ingratidão, mostrando ao mesmo tempo seu poder onipotente. Cientistas, enquanto discutem e estudam as leis da natureza, ficam atônitos com a grandiosidade da criação, e com clareza suas descobertas são cheias de admiração pela grandiosidade do poder de Deus Onipotente.

É por isso que um verdadeiro cientista nunca é ateu, pois investigando com genialidade tudo que descobre, ele reconhece O Grande Criador com toda sua alma e seu coração. Constantemente Deus observa o desenvolvimento da inteligência dessas criaturas que procuram um conhecimento maior das coisas e a melhoria da sua curta existência, e Ele as auxiliará com seus esforços, com a Sua graça. Mas Deus também deseja a perfeição de suas almas, e deste modo as vai conduzindo para O reconhecerem.

Conseqüentemente, o homem ao alcançar um alto patamar de cultura, algumas vezes acredita que é o único responsável por isso. Homens ingratos que não reconhecem a ajuda Divina merecem é a cólera e a punição de Deus! E Deus destrói todas as suas habilidades e permite que outra geração as aperfeiçoe, por fim o homem deve reconhecer que nada pode ser alcançado sem Deus”.

IV. Os sofrimentos vêm (por permissão) de Deus

Após uma breve pausa ele continuou: “Agora, por exemplo, certas pessoas passam por doenças e sofrimentos, que Deus na sua infinita bondade, permite para purificação de suas almas, especialmente quando sua curta permanência neste mundo chega ao fim. Muitos ignoram o fato de que seus sofrimentos vêm de Deus. Entretanto eles poderiam clamar por Sua misericórdia e Seu Santo Nome e Ele mostraria Sua piedade para com eles. Deus deseja a salvação de todos.

Cada gesto ou alusão ao nome do Senhor é uma oração que atrai a alma mais para perto de Deus”.

Devemos ser generosos e caridosos para com os pobres e necessitados, mas também rezar, porque sem oração e trabalho honesto não há salvação para a alma. Por esta razão, todos aqueles que atormentarem os infortunados serão punidos. Se você quer fazer alguma coisa, faça, sem provocar os outros e nunca acusar a Deus por algum infortúnio que Ele ou Seu amor, concede a você para sua salvação.

Perguntei: “Mas como pode um ateu ou agnóstico ser iluminado para receber a graça de Deus?” Respondeu-me: “Unindo-se à Igreja que é a escadaria para o Céu. Nela ele encontrará a graça, porque ela (a Igreja) glorifica ao Senhor em tudo o que ela faz. Se um ateu entrar numa igreja, elevar sua mente para Deus e disser: “Senhor,mostra-me Tua vontade, dá-me fé e eu obedecerei”, o Senhor dirá: “Eu não mandarei aqueles que vem a mim embora” .

E a fé entrará em seu coração e ele terá aversão aos seus pecados. Quanto maior for sua revolta maior será sua fé e compreensão. Na Terra, cada alma é dotada com o germe da fé e o ateu encontrará o “espiritual” sem aviso. Ele encontrará consolação em Jesus Cristo e regozijar-se-á mais, quanto mais profundamente o procurar. Preserve sua fé, ponha em Deus seu coração. A incredulidade prejudica, e é uma doença moral, como uma pestilência.

O que é uma existência sem a graça de Deus? Sem Deus não há consolação e nunca queixe-se da justiça de Deus em sua Criação. Quem somos nós para julgar Deus Onipotente? A cada fato devemos curvar nossas cabeças em sinal de gratidão. Os espíritos do mal sabem da existência de Deus, mas desejam desobedecer e permanecer maus.

Nunca culpe a sorte e o destino, pois estes não existem, pois se a sua vida fosse baseada em predestinações, como poderia Deus julgar o que fez de bom e recompensá-lo ou puni-lo pelas suas transgressões?

As ações humanas são o produto de sua própria vontade. A vida é uma batalha e devemos invocar a ajuda de Deus em todos os momentos. Quantos problemas difíceis têm sido resolvidos através da invocação divina. Muitos passaram por tais experiências, e devem ser gratos.

Quando o homem se acha em desgraça, deve se esforçar mais para implorar a ajuda de Deus, a fim de superar isto. Ele nunca deverá se desesperar, e então a ajuda virá. Tudo é governado pela Sabedoria universal de Deus.

Toda a criação veio da superior inteligência de Deus e por esta razão ao homem é dada a inteligência e a percepção do grande trabalho da criação. O homem não está privado desta sensação. Existem acontecimentos na vida de certas pessoas que supõem um extraordinário significado, quando eles podem sentir e ver a Mão de Deus.

Relembremos a profecia: “Da raiz de Davi nascerá o Salvador do Mundo”. Vamos relembrar a profecia da vida terrena de Jesus Cristo. No cumprimento dessas profecias percebe-se o grande projeto de Deus, portanto é errôneo comparar-se isso com a concepção de destino. Destino não existe, esta palavra e este conceito são invenções do homem. A vida de cada um é designada de acordo com sua vontade e suas boas e más ações.

O homem é senhor e soberano de sua própria vida e precisamente por esta razão foi-lhe dada inteligência. Por esta razão deve responder a Deus por todas as suas ações praticadas durante sua vida na Terra. Se estiver sofrendo por causa dos seus pecados deve perceber que a culpa está nele próprio.

Outro grande erro é atribuir ao destino toda a ajuda que Deus lhe dá, quando, por exemplo, Deus dá Sua graça àqueles que acreditam firmemente que Deus os ama. A graça divina sempre recai sobre a humanidade, mas especialmente nos momentos mais difíceis e dolorosos, ou quando há necessidade urgente de ajuda.

A vida é uma batalha e conseqüentemente em momentos decisivos, o homem deve combater com iniciativa e superar os obstáculos, os quais irão ajudá-lo a alcançar a satisfação definitiva de suas aspirações. Entretanto, quando a vontade e o desejo do homem não são capazes de suportar os acontecimentos da vida, e quando o homem é incapaz de lutar ou não pode se defender, Deus vem em seu auxílio de uma maneira maravilhosa, o que é evidente, e se torna claro para que todos possam ver. De modo particular, quando experimenta o horror de uma situação que lhe pareça insuportável. Com algumas pessoas isto acontece mais do que uma vez na vida.

Muitas pessoas acreditam que os casamentos são “arranjados” no Céu, repito, destino não existe, mas certos casamentos acontecem através do desejo de Deus. Algumas uniões são a recompensa por uma vida piedosa e então a vida do casal é serena e feliz. Outras são como uma tentativa, e Deus julga-os através da suas firmezas ou fraquezas.
Então, destino não existe, entretanto, na vida de cada um há períodos de felicidade concedidos pelo Céu. Seja na paz de sua alma, seja no seu trabalho, nos negócios, ou na relação com outras pessoas e em todas as coisas, é então acompanhado pelo sucesso. Em alguns casos a felicidade não dura muito tempo e muda para pior, muitas vezes quando não se espera por isto.

O homem deve adaptar-se a seus anseios e aceitar isto. Felicidade existe, mas na vida de cada um há também dramas e infortúnios. O homem deve lembrar-se que esses períodos não duram para sempre. Por esta razão, nas épocas de provação, ele deve confirmar sua fé e seu espírito, superar o infortúnio, não perder a coragem, não se desesperar nem perder a paz da sua consciência.

Lembre-se que a Sabedoria Divina reina sobre todo o Universo. Cada lágrima, desventura, sofrimento, alegria são necessários a Deus para a realização dos desejos e planos do homem. Todas as criações de Deus são frutos de uma infinita inteligência superior, conseqüentemente, a vida do homem não pode privar-se do seu significado.
Durante sua vida devem realizar a expressa vontade de Deus e ser agradecidos. Contemple a genialidade do mundo criado por Deus, então a vida do homem será mais significativa.

Anúncios
por euvimparaquetodostenhamvida

Um comentário em “As Visões de Fanny Moisseiva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s