O Corão louva muito mais Cristo que Maomé, por que? As 8 coisas espantosas que o Corão diz de Jesus e um cristão deveria conhecer.

ReligionenLibertad.com

Las 8 cosas asombrosas que el Corán dice de Jesús y un cristiano debería conocer

O Corão louva muito mais Cristo que Maomé, por que? As 8 coisas espantosas que o Corão diz de Jesus e um cristão deveria conhecer.

Jesus e Maria estão no Corão e para quem fizer perguntas com liberdade podem levar a Bíblia e o cristianismo

Pablo J. Ginés/ReL- 31 outubro 2013-religionenlibertad.com

Mario Joseph: Encontré a Cristo en el Corán

Em seu livro “Encontrei Cristo no Corão”, recentemente publicado em espanhol, Mario Joseph, que foi imã muçulmano na Índia e hoje é católico, explica, precisamente, o que diz o título: as referências a Cristo no Corão o levaram ao cristianismo.

Isso complicou muito sua vida com perseguições, incompreensões e rejeições, que ele aceitou, diz, porque também Cristo as viveu, alertou e devem se ver como parte da vida cristã.

Em 20% da população mundial

Uma em cada cinco pessoas sobre a terra, conhece algo de Jesus, é através do Islã e do Corão. Os muçulmanos, inclusive os pouco letrados, creem conhecer Jesus bastante, o tem integrado em sua cosmovisão, como um profeta a mais. Que o Corão não leve mais muçulmanos ao cristianismo se deve a que muitos muçulmanos não conhecem com detalhe o Corão e não fazem perguntas incômodas sobre ele. O muçulmano comum conhece e professa que Jesus, segundo o Corão, foi um grande profeta antes de Maomé, que Deus o engendrou milagrosamente em Maria sem relação com homem, que fez milagres, etc…

A chave que inquietou Mario Joseph é até que ponto é grande Jesus, sobretudo quando se compara com o que o Corão diz de Maomé.

Usar o Corão para comprovar as diferenças que há entre Jesus e Maomé é algo que está começando a se difundir. No âmbito cristão protestante, o teólogo e apologeta evangélico Norman L. Geisler pôde assinalar (aqui em um PDF em inglês) estes 6 pontos de comparação entre ambos “profetas” segundo o Corão.

1) O Corão reconhece que Jesus nasceu de uma mulher virgem, mas que Maomé não (a tradição islâmica conhece bem os pais de Maomé, Abdulá e Amina).

2) O Corão reconhece que Jesus não pecou, não tinha pecado nele, enquanto que aceita que Maomé sim era pecador

3) No Corão, Jesus é chamado o “Messias”, ou seja, o Ungido, um título muito elevado que Maomé não recebeu.

4) No Corão Jesus é chamado “a Palavra de Deus”, um título poderoso e elevado, que Maomé não recebeu.

5) No Corão se declara várias vezes que Jesus fazia milagres, enquanto que neste livro Maomé não os faz.

6) Jesus no Corão ascendeu ao Céu com seu corpo; coisa que o Corão não afirma sobre Maomé.

Mario Joseph, quando ainda era imã muçulmano e se chamava Suleiman, sem conhecer nada de Geisler e sua exposição, já tinha notado estes aspectos que lhe inquietavam.

E quando perguntava aos seus mestres se isso não significava que Jesus era maior que Maomé, talvez maior, eles não sabiam responder com razões. Porém Mario Joseph assinala alguns detalhes a mais.

7) O nome de Maomé aparece no Corão só 4 vezes, sob duas denominações: Ahmed e Mohammed. Em troca, Jesus é mencionado no Corão com 4 títulos poderosos: Kalimathullahi (Palavra de Deus), Ruhullahi (Espírito de Deus), Isá al-Masih (Jesus o Messias) e, finalmente, Ibnu Mariam (filho de Maria, título poderoso porque Maria é a mais excelsa das mulheres, protegida de Deus, modelo para todos, etc…)

8) O capítulo 19 do Corão, intitulado “Maria”, canta excelências espantosas de Jesus que Mario não viu atribuídas em Maomé, a saber:

– Jesus é a Palavra de Deus
– Jesus é o Espírito de Deus
– Falou desde seu berço (o bebê Jesus, quase recém nascido, explicou a uns maledicentes que sua mãe não teve relação com homem)
– Deu vida a pássaros feitos de barro (história que o Corão tomou do evangelho apócrifo de Tomé, ou da Infância, do século II).
– Curou enfermidades incuráveis
– Deu vida aos mortos
– É onisciente
– “Revelou todos os segredos”
– “Ascendeu ao Céu”
– “Ainda está vivo”
– “Cristo voltará a vir”

Como encaixar tudo isto com a suposta autoridade de Maomé?

E isso se refere só ao que se encontra no Corão: nos ditos e outras fontes da tradição islâmica, se vê claramente, por exemplo, que os demônios não se aproximavam sequer de Jesus e Maria, tal era sua pureza e santidade, enquanto que muitos hostilizavam a Maomé. Não faz isso de Jesus alguém muito superior?

Maomé pecou, Jesus não

Maomé tem que pedir perdão por suas faltas
E é que mesmo o clero muçulmano e os líderes religiosos islâmicos falem maravilhas de Maomé, no Corão se vê, por exemplo, como na Sura 47 se diz ao “profeta”: “sabe, pois, que não há mais deus que o Alá e peça perdão por tuas faltas”; e mais adiante, “que Deus te perdoe por tuas faltas” (em 48,2).

Em troca, Jesus, nem no Corão nem no Evangelho nunca pediu perdão a Deus; Ele, que insistiu na humildade, nunca reconheceu ter pecado. Nem cristãos nem muçulmanos atribuem pecado algum a Jesus.

Maomé é só apóstolo, Jesus é Ungido
E o título de “Messias” (“Ungido”) de Jesus, pode soar muito mais forte que o de Maomé, que para o Corão é só “enviado” (ou seja “apóstolo”, em grego), ou profeta (se bem que o Corão o chama “o Apóstolo de Deus e o selo dos Profetas”, em 33,45).

Por outro lado, o título de que Jesus é a Palavra de Deus ressoa com força, porque Maomé não foi nunca chamado assim. Um cristão que falar com um muçulmano e insistir que Jesus é o Logos, a Palavra, algo eterno que está eternamente unido a Deus, não um simples homem, poderá avançar bastante.

O corpo de Maomé está em ‘Meca’; o de Jesus, no Céu
Por outro lado, os muçulmanos não duvidam de que o corpo de Maomé esteja enterrado em Meca, e ali peregrinam. Também peregrinam as tumbas de muitos outros profetas e homens santos e milagrosos. Mas sabem que não há tumba de Jesus, que o corpo de Jesus não está em nenhum lugar, e que no Santo Sepulcro não existe nenhum cadáver nem resto, como bem sabem também os cristãos. O Corão mesmo diz que Deus elevou Jesus até Ele (ao Céu). Acrescenta -isso sim- que “não o mataram nem o crucificaram, mesmo parecendo isso para eles” (Sura 4:157-158).

Para entender Alá, pegue a Bíblia

Em seu apaixonante testemunho, Mario conta que rezou para Alá pedindo-lhe guiasse sobre como devia entender e tratar Jesus; depois foi ao Corão e leu: “Se tens alguma dúvida sobre do que te temos revelado, pergunta a quem antes que tu já lia a Escritura” (Sura 10, Jonas, verso 94). Mario entendeu, espantado, que quem tiver dúvidas sobre o Corão é remetido pelo mesmo Corão aos que liam previamente as escrituras, cristãos e judeu, para obter a perfeição do Corão, deve obter da Bíblia.

Em seu testemunho (leia-o aqui), Mario conta como isso o levou, sendo um jovem imã, a perguntar a uma freira em uma parada de ônibus, e como esta o remeteu ao Centro Divine Retreat de Muringoor, onde hoje é pregador católico, não sem passar por difíceis provações que explicou em seu livro.

Gostou desse artigo? Comente-o com teus amigos e conhecidos:

http://religionenlibertad.com/articulo.asp?idarticulo=31970

por euvimparaquetodostenhamvida