O porquê desta viagem do Papa Bento XVI ao México e a Cuba.

Os Blogs de “Religionenlibertad.com”

Padre Santiago Martin – Franciscano de Maria – 21 de março de 2012

“O porquê de uma viagem”.

Com menos de uma semana para o Papa Bento XVI realizar uma nova jornada para a América. Desta vez será o México e Cuba os afortunados para receber o vigário de Cristo.

A presença do Papa é sempre um presente, não só para a comunidade católica, mas à nação que a recebe. Ele é sempre um mensageiro de paz e esperança, um homem santo e sábio, cujo único interesse de servir a Deus e ao próximo.

As autoridades de ambos os países estão fazendo um esforço para garantir o sucesso da visita, na medida em que a estrutura está em causa.

Enquanto em Cuba são as vozes que falam de dificuldades para os católicos que vivem fora de Havana para ir para a capital, parece que até agora estas críticas foram corroboradas pelas autoridades eclesiásticas.

No México, no entanto, houve uma trégua na luta absurda e sangrenta entre quadrilhas de traficantes, embora já seja um primeiro fruto da visita papal, o resultado que se precisa pedir a Deus para ser mantido.

Mas, por que o Papa vai o México e Cuba? Pois, assim como ele e seu antecessor realizam essas viagens: para reforçar e confirmar a fé dos católicos dos países visitados.

O Papa não vai para o México para apoiar o partido PAN nas eleições, nem mesmo contribuir para o fim do tráfico de droga.

Vai encorajar os católicos a permanecerem fiéis a Cristo e para se envolverem na vida pública coerente com sua fé. Se isso tem política ou social, será um fruto lógico e crescido. Quanto a Cuba, Sua Santidade não viaja para a ilha caribenha para dar um impulso à ditadura assassina do Castro.

Vai encorajar os católicos, que têm sido por décadas perseguidos e assediados pela tirania marxista, e não desistam de seu esforço para ser fiel a Cristo.

Claramente, corre o risco de ser manipulado pelo regime comunista, mas também correu João Paulo II quando visitou o Chile de Pinochet ou Cuba de Fidel Castro em si.

Toda a espiritualidade cristã é baseada na encarnação e não na fuga. Têm que estar onde estão os problemas, onde é preciso observar a presença do pastor. Você não pode fugir quando o lobo ataca as ovelhas e é isso que o Papa.

Às vezes, o resultado será mais lisonjeiro e às vezes pior, mas o que importa é fazer o que Deus quer. E isso é exatamente o que faz Bento XVI.

E nós. Pelo menos devemos acompanhá-lo com oração intensa. Veja este ancião de 85 anos cruzar o Atlântico e desafiar os narco-traficantes e tiranos, é algo que não só comove, mas sim que anima.

Não tenhamos medo. Nossos pastores não têm.

http://www.magnificat.tv/es/node/867/2

Fonte: http://www.religionenlibertad.com

Anúncios
por euvimparaquetodostenhamvida

O inferno existe e poderíamos ir lá! Fátima e a Visão do Inferno

 

Padre Marcel Nault (1927-1997)

Discurso pronunciado pelo Padre Marcel Nault na Conferência Mundial de Paz de Bispos Católicos, em Fátima, Portugal, no ano de 1992. Este discurso causou tal impacto que depois da conferência, alguns Bispos pediram ao Padre Nault que escutasse suas confissões.

Nosso Senhor Jesus Cristo veio à terra por um motivo, para salvar as almas do Inferno. Ensinar a realidade do Inferno é a tarefa mais importante e inevitável da Santa Igreja Católica.

Um dos grandes Padres da Igreja, São João Crisóstomo, continuamente ensinava que Nosso Senhor Jesus Cristo pregou mais frequentemente sobre o inferno do que sobre o céu. Alguns pensam que é melhor para pregar sobre o céu. Eu não estou de acordo. Pregando sobre o inferno produz muitos mais e melhores conversões do que os obtidos com mera pregação sobre o Céu.

São Bento, o fundador dos beneditinos, foi viver em Roma, o Espírito Santo disse: “Você vai perder a sua alma em Roma e vai para o inferno.” Ele deixou Roma e se retirou para viver no silêncio e na solidão fora de Roma para meditar sobre a vida de Jesus e do Santo Evangelho. São Bento fugiu de todas essas ocasiões de pecado da Roma pagã. Ele orou, se sacrificou por si mesmo e pelos pecadores. O Espírito Santo difundiu a notícia de sua santidade. Como resultado, as pessoas o visitam para ver, ouvir e seguir o seu exemplo e aconselhamento. São Bento retirou-se de todas as ocasiões de pecado e se tornou um santo. Santidade atrai as almas.

Por que você acha que Santo Agostinho mudou a sua vida? Por medo do inferno! Eu prego com frequência sobre a trágica realidade do inferno. É um dogma católico que padres e bispos já não pregam mais. O Papa Pio IX, que deu o dogma da infalibilidade papal e da Imaculada Conceição de Maria, e também emitiu sua convicção Syllabus famosa contra erros e heresias do mundo moderno, pedia aos pregadores para ensinar os fiéis mais freqüentemente os “Novíssimos”, especialmente sobre o Inferno, e dava o exemplo ele mesmo pregando. O Papa pediu isso porque a meditação sobre o Inferno gera santos.

Os santos temem o Inferno

Aqui encontramos algo engraçado, os santos temem ir para o inferno, mas os pecadores não sentem esse medo. São Francisco de Sales e Santo Afonso Maria da Ligório, o Cura d’Ars, Santa Teresa de Ávila, Santa Teresa de Lisieux, tinham medo de ir para o inferno. São Simão Stock, Superior Geral do Carmelo, sabia que seus monges tinham medo de ir para o inferno. Seus monges jejuavam e oravam. Eles viviam em reclusão, separados do mundo perigoso dominado por Satanás.

No entanto, eles tinham medo de ir para o inferno. Em 1251, Nossa Senhora do Monte Carmelo apareceu em Aylesford, Inglaterra, a São Simão Stock. Ela disse: “Não temas mais, eu dou um traje especial, todo mundo que morrer vestindo essa roupa não vai para o inferno.” Estou usando meu Escapulário do Carmo sob minha roupa e eu tenho um no meu bolso porque eu nunca sei quando as pessoas me pedirão que lhes fale sobre o inferno ou o Escapulário do Carmo.

Maria disse ao padre dominicano, o beato Alain de la Roche, “Eu virei e salvarei o mundo através do meu Rosário e de meu escapulário.”

Cada um não pode se especializar em tudo e ensinar sobre tudo, é preciso escolher. Eu acho que esta é a vontade de Deus que eu pregue sobre o inferno. Um Monsenhor, meu superior há tempo me disse certa ocasião: “Pregas muitas vezes sobre o inferno e isso assusta as pessoas.” Ele acrescentou: “Marcel, eu nunca preguei sobre o Inferno, porque as pessoas não gostam. Tu os assustas.”

De uma forma muito amigável, o bispo disse-me em seu escritório: “Marcel, eu nunca preguei sobre o inferno e nuncao farei, e olha como é agradável e prestigiosa a posição que alcancei.” Eu guardei um longo silêncio,depois mirei nos seus olhos.

“Monsenhor”, eu disse, “você está na estrada para o inferno por toda a eternidade. Monsenhor, você prega para agradar aos homens, em vez de pregar para agradar a Cristo e salvar almas do inferno.

Monsenhor, é um pecado mortal de omissão se recusar a ensinar o Dogma católico do Inferno. ” Quando Deus enviou os profetas no Antigo Testamento, foi para lembrar o homem voltar à verdade, para retornar à santidade. Jesus veio, pregou e enviou seus apóstolos ao mundo para pregar o Evangelho. A serpente veio e difundiu seu veneno por meio de heresias, mas Jesus enviou sua amada mãe, a Rainha dos Profetas, “Vá para a terra e destrói as heresias.”

Os Padres da Igreja escreveram que a Mãe de Deus é o martelo das heresias. Se você tomar o tempo para estudar com muito cuidado a mensagem de Nossa Senhora de Fátima, verá que é uma mensagem do mais trágico e profundo, refletindo os ensinamentos do Santo Evangelho.

Aulas ministradas em Fátima

O resumo da Mensagem de Fátima é que o inferno existe. O inferno é eterno e que nós estaremos lá, se morrermos em estado de pecado mortal. “Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder sua alma?”

Nossa Senhora veio e nos disse que podemos nos salvar por meio de dois sacramentos da predestinação divina: o Rosário e o Escapulário. Expressa também uma ênfase especial na devoção ao seu Imaculado Coração e Devoção dos cinco primeiros sábados.

Na primeira aparição do Anjo de Portugal em Cabeco, maio 1916, o Anjo veio para os três pastorinhos e mostrou-lhes como adorar a Deus em oração: “Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-vos. Peço-vos perdão por quem não crê, não adora, não espera e não vos ama “.

O Anjo rezou esta oração se prostrando com a testa no chão. O Anjo de Fátima mostrou para as três crianças no fim das orações, o que vem primeiro. Primeiro, é preciso adorar a Deus e depois rezar para os santos. Primeiro Deus, as criaturas mais tarde. O Anjo de Fátima mostrou ao homem para adorar a Deus e orar a Ele de joelhos. Quanto mais o homem conhece a Deus, mais ele se humilha diante de Deus seu Criador.

O grande bispo francês Bossuet disse: “O homem em verdade se engrandece quando está de joelhos.” Sim, o homem torna-se realmente grande quando ele se ajoelha diante do seu Criador e Redentor, Jesus no Santíssimo Sacramento. O Anjo de Fátima veio para ensinar as três crianças que o nosso primeiro dever, de acordo com o Primeiro Mandamento, é adorar a Deus. Em sua terceira aparição no Cabeço, o Anjo de Portugal veio com um cálice na mão esquerda e uma Hóstia na mão direita. As crianças se perguntaram o que estava acontecendo.

O Anjo milagrosamente permaneceu com o cálice e a Hóstia no ar e caindo no chão recitou uma oração de profunda adoração da Trindade: “Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, negligência, o sacrilégio e indiferença com Ele mesmo é ofendido e pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e pela intercessão do Imaculado Coração de Maria, peço-vos a conversão dos pobres pecadores “.

Deus deseja que o adoremos de joelhos. Não nos ajoelhamos em adoração e oração diante de Jesus no Santíssimo Sacramento? Devemos. Quando os três Magos do Oriente vieram a Belém e entraram onde estava o menino Jesus, eles se curvaram diante dele para adorar de joelhos. Temos este exemplo nas Escrituras e do Anjo de Fátima, Deus quer que nós o adoremos de joelhos.

O reforço do dogma católico

Um ano depois, em 13 de maio de 1917, as crianças viram uma jovem que apareceu diante deles. Foi a primeira aparição de Nossa Senhora. Lúcia perguntou: “De onde você é?” Ela respondeu: “Eu vim do céu.” O dogma católico da existência dos Céus. As crianças perguntam: “Vamos para o Céu?” Ela respondeu: “Sim, vão para o céu.”

Então eles perguntaram: “Nossos duas amiguinhas estão no céu?” Maria respondeu: “Uma delas, sim.” As crianças perguntaram: “Onde está a outra menina? Está no céu?” Maria respondeu: “Ela está no purgatório e ficará até o fim do mundo.” Esta menina tinha 18 anos.

Um segundo dogma católico o purgatório existe e vai continuar até o fim deste mundo. A Mãe de Deus não pode mentir. O Anjo de Fátima ensinou as três crianças como adorar a Deus Pai, Deus Filho e Espírito Santo. Este é um reforço do dogma da Trindade, o maior de todos, sem o qual o cristianismo não poderia permanecer. Devemos adorar as três Pessoas da Santíssima Trindade.

Uma visão do inferno

Na sexta-feira 13 de julho de 1917, Nossa Senhora apareceu em Fátima e falou com os três pequenos videntes. Nossa Senhora não sorriu. Como poderia sorrir, se nesse dia ia dar às crianças uma visão do inferno? Ela disse: “Rezai, rezai muito porque vão muitas almas para o inferno.”

Nossa Senhora estendeu as mãos e de repente as crianças viram um buraco no chão. Esse buraco, Lúcia disse, era como um mar de fogo em que as almas eram em forma humana, homens e mulheres, consumidas no fogo, gritando e chorando incontrolavelmente. Lúcia disse que os demônios que se pareciam horríveis como de animais desconhecidos. As crianças estavam tão horrorizado que Lúcia gritou. Ela estava tão assustada que pensou que fosse morrer. Maria disse aos filhos: “Você viu o inferno onde os pecadores vão quando eles não se arrependerem.”

Um Dogma católico mais, a existência do Inferno. O Inferno é eterno. Nossa Senhora disse: “Cada vez que rezarem o terço, dizei depois de cada dezena:. Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o Céu, especialmente as que maisprecisarem da Tua misericórdia”

Maria veio a Fátima como profeta do Altíssimo para salvar as almas do inferno. O santo padroeiro dos pastores, São João Maria Vianney, costumava pregar que o maior ato de caridade para com o próximo era salvar sua alma do inferno. E o segundo ato de caridade é o alívio e libertação das almas que sofrem no Purgatório.

Um dia, em sua pequena igreja (onde até hoje seu corpo incorrupto é preservada), um homem possuído pelo demônio se aproximou de São João Maria Vianney e disse: “Eu odeio você, odeio você, porque tirou das minhas mãos a 85 000 almas “.

Senhores Cardeais, Excelências, Sacerdotes, quando somos julgados por Jesus, Jesus vai nos fazer uma pergunta: “Eu te constituí Sacerdote, Bispo, Cardeal, Papa, quantas almas salvastes do inferno?

São Francisco Sales De, de acordo com as estatísticas, converteu e provavelmente salvou mais de 75 mil hereges. Quantas almas você salvou?

Quando lemos os Padres da Igreja, os Doutores da Igreja e os santos, estremecemos com uma realidade: todos eles ensinaram o evangelho de Jesus e os Quatro Novíssimos:. Morte, Juízo, Inferno e Paraíso. Todos pregaram o Dogma católico do Inferno porque quando meditamos sobre o destino dos condenados, não queremos ir para o inferno.

Não é minha intenção criticar os bispos, mas, devo confessar esta verdade, em meus 30 anos de sacerdócio, é um fato triste que nunca vi nem ouvi um bispo, mesmo meu bispo ou qualquer outro bispo, pregando o dogma da Igreja Católica Romana sobre o inferno. Eu acho que em seus países ou em outros lugares o fazem, mas na América não é pregado este Dogma de Fé.

Um dia, em uma catedral disse a um bispo: “Vossa Excelência, fazes belas meditações do rosário toda noite no rádio, isso é lindo, mas eu preciso perguntar, por que não encurta um pouco e insere em sua meditação após cada dezena do Rosário: ‘Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas para o Céu, principalmente as que mais precisam da Tua misericórdia.

“Por que se recusa a dizer esta pequena oração depois cada dezena, como foi pedido por Nossa Senhora de Fátima em 13 de julho de 1917, depois de ter mostrado a eles o inferno aos três pastorinhos? “

O Bispo disse: “Olha, as pessoas não gostam de ouvir sobre o inferno, o inferno é uma palavra que assusta-os.”

Nós não estamos para pregar o que agrada as multidões, mas para salvar suas almas do inferno, para impedi-los de ir ao Inferno eternamente. É provável que esta alegação não é aceita por todos os bispos, mas muitas vezes ouvi-os dizer o Rosário omitindo esta oração piedosa para salvar as almas do inferno.

Acho que esta pequena oração de Nossa Senhora de Fátima dada às crianças em 13 de julho de 1917, é mais forte e mais agradável a Deus do que qualquer meditação que é bonita, embora tenha sido expressada por um bispo. Cada um de nós recebeu uma missão de Deus e creio que Jesus e Nossa Senhora quer que na minha missão eu pregue sobre o inferno. É por isso que eu prego sobre o inferno. Há muitas revelações que lemos na biografia de almas privilegiadas. Algumas almas no inferno foram forçadas por Deus para falar para nos ajudar a crescer em nossa fé. É um pecado mortal de omissão de se recusar a pregar o Dogma Católico do Inferno. Estas almas perdidas tem dito: “Nós podiamos suportar o inferno durante mil anos, podiamos suportar o inferno um milhão de anos, se soubéssemos que um dia deixariamo o fogo.”

Meus amigos, nós pensamos, não só no fogo do inferno, não só na privação da contemplação de Deus, mas na eternidade do inferno. Meditar seriamente em frente ao Tabernáculo sobre o Dogma Católico do Inferno. Queridos Bispos, devem pregar todo o Evangelho de Jesus, incluindo a trágica realidade do inferno eterno.

Conceito herético da Misericórdia de Deus

Um sacerdote em uma conferência carismática disse à uma multidão de cerca de 3 000 pessoas e cerca de 100 sacerdotes que “Deus é amor, Deus é misericórdia e verão sua infinita misericórdia no fim do mundo, quando Jesus vai libertar todas as almas no inferno, até os demônios. “

Este sacerdote segue pregando e seu Bispo não suspende suas faculdades por ensinar tais heresias. “Ide para o fogo eterno”, disse Jesus. Fogo eterno, não fogo temporal.

Com a minha limitada mente humana, me atrevo a fazer uma pequena reflexão filosófica: “Deus é amor, Deus é nosso Pai. Como pode um pai, por amor de Deus, levar o pequeno Pedro e jogá-lo em uma fornalha ardente, é impossível? É um insulto a Deus que é amor.”

Quantas vezes você já ouviu isso? A verdade, contudo, é que o inferno existe. O inferno é eterno, e todos vão para o inferno se morrerem em estado de pecado mortal. Eu posso ir para o inferno. Você pode ir para o inferno. Se algum de nós morrer em pecado mortal, vamos estar no inferno por toda a eternidade, queimando, chorando e chorando de forma inconsolável. Nem por um milhão de anos, mas por bilhões e bilhões e bilhões de anos e além, por toda a eternidade.

Em nossa vida mortal, que não cometeu um pecado mortal? Um pecado mortal não confessado sem arrependimento antes da morte, é o suficiente para que Jesus nos lance no inferno.

Um dos grandes Padres da Igreja, Padroeiro de todos os pregadores católicos, São João Crisóstomo disse: “Poucos bispos se salvam e muitos padres são condenados.”

Ao vir de Lisboa para Fátima de ônibus, tive a oportunidade de pregar para os leigos, padres e bispos presentes no ônibus. Eu implorei: “Por favor, quando chegarem à Fátima, porque não se atrevem a fazer uma boa confissão geral de vida. Quem sabe faz dez anos, talvez 50, que não tem a coragem de confessar esse pecado grave por vergonha? Por favor , façam uma confissão santa e completa em Fátima antes de seu retorno. Há muitos padres em Fátima que nunca mais verão outra vez até chegar ao Céu. “

Eu prego aos Bispos como faço com qualquer um, porque os bispos têm também uma alma para salvar. E se os bispos são realmente humildes, aceitam a verdade, mesmo que se trate de um padre simples e comum. Não vamos deixar Fátima sem uma Confissão Geral Santa.

Um grande ato de caridade

Suas Excelências, Jesus nos fez sacerdotes. Jesus, nosso Senhor nos escolheu entre milhões de homens para fazer de nós sacerdotes. Nós nos tornamos sacerdotes por uma razão: para oferecer o Santo Sacrifício da Missa a Deus Pai Todo-Poderoso, para rezar o breviário todos os dias e para pregar o Evangelho de Jesus para salvar almas do inferno. Ninguém tem a certeza de ir para o céu a menos que você tenha recebido uma revelação privada de Deus como aconteceu com o bom ladrão na cruz ou os três videntes de Fátima. Por que não adotam meios seguros de que o Céu nos deu como o Santo Rosário (“A devoção a meu Rosário é um sinal certo de predestinação”), o Escapulário do Carmo e do admirável Sacramento da Confissão?

Preguem, meus queridos bispos, como fizeram os Padres da Igreja. A principal tarefa de um bispo é pregar, não apenas administrar uma diocese. A Igreja tem necessidade de ver e ouvir os bispos, pregando como fizeram os Padres da Igreja. Se um de vocês, bispos aqui presentes em Fátima voltar à sua diocese e, ocasionalmente, pregar sobre os Quatro Novíssimos, juntamente com toda a mensagem de Fátima, o que seria um grande ato de caridade para todos os seus fiéis. Com a assistência do Espírito Santo digam aos fiéis: “Ouvi, meus irmãos em Cristo, eu sou o seu Bispo, estou aqui para salvar sua alma do Inferno. Por favor ouçam, aceitem e ponderem o meu ensinamento neste dia. Tu também, meus queridos sacerdotes da minha diocese, imitem o seu Bispo, e preguem sobre o inferno com a autoridade que Jesus lhes deu. Preguem no mínimo uma vez por ano um sermão inteiro sobre o inferno. ” Se o fizerem, estão fazendo o maior ato de caridade de seu sacerdócio, do seu episcopado.

Como mencionado anteriormente, em meus trinta anos de sacerdócio, nunca ouvi um bispo pregar sobre o inferno. Quando eu quero encontrar um sermão sobre o inferno, eu tenho que ler São João Crisóstomo, os Padres da Igreja, os Doutores da Igreja e os pregadores santos. Queridos Bispos, por favor, preguem sobre o inferno como Jesus, Nossa Senhora de Fátima, os Padres e Doutores da Igreja e salvem muitas almas. Quem salva uma alma salva sua própria alma. Pregando sobre o inferno é um grande ato de caridade, porque as suas audiências acreditam na autoridade conferida pela Igreja. Essas pessoas corrigem seu modo de vida e fazem uma santa confissão de seus pecados.

A Veste da Graça

As pessoas sempre me perguntam: “Por que, ó Padre, não se prega mais sobre o Escapulário do Carmo? No passado, recebíamos o escapulário na nossa Primeira Comunhão, mas agora não há mais bênção e imposição do Escapulário?

O Escapulário é ainda válido, como no passado? ” Sim, o Escapulário do Carmo também é válido nestes tempos, esta verdade não mudou. No sábado, 13 outubro de 1917, durante o Milagre do Sol em Fátima, a Virgem Maria apareceu aos três pastorinhos segurando o escapulário na mão.

Irmã Irmã Lúcia disse: “O Rosário e o Escapulário são inseparáveis”. Por que então os padres não pregam mais sobre o Escapulário do Carmo? Como eles podem deliberadamente se recusar a pregar sobre o inferno? Se você nunca pregou sobre o inferno, as pessoas não acreditam no inferno e, por essa razão, qual seria o objetivo para receber e levar consigo o Escapulário do Carmo?

Jesus disse: “Se você tem fé, move montanhas”. Se você tem fé, se convertem as almas com a graça de Deus. Se você prega sobre o Inferno com fé, as pessoas vão acreditar no Inferno. São Paulo disse aos seus discípulos: “Pregue com convicção.” Não basta falar ou ler uma homilia em uma igreja, você não está pregando. A pregação deve procurar mover a vontade, a pregação deve motivar os homens a mudar suas vidas para salvar suas almas do inferno.

A deserção Sacerdotal

Há quatro razões principais que 75 mil padres abandonaram o sacerdócio:

1) porque eles se recusaram a rezar todos os dias.

2) Por que não evitam as ocasiões de pecado e se esquecem que a prudência é a ciência dos santos.

3) Porque eles não tinham a humildade e a coragem de fazer confissões completas e santas. Jesus disse: “Sem Mim nada podeis fazer.”

4) Porque vivendo em pecado mortal e ainda celebrando. Se um padre está em um estado de pecado mortal e celebra a Santa Missa, a Missa é um sacrilégio para ele. Quando você receber a Comunhão neste estado, faz uma Comunhão sacrílega. Então, como pode um padre pregar em estado de pecado mortal, sob a inspiração e a força do Espírito Santo?

Como pode pregar, se está endemoniado? Sacerdotes vão e façam uma confissão santa e se transformem em pregadores excelentes. O Espírito Santo vai falar com você e através de você, e salvarão milhares de almas do inferno.

Um dia, o Santo Cura d’Ars foi visitado por um jovem sacerdote de uma paróquia nas proximidades. Este padre estava muito interessado em conhecer pessoalmente o Cura d’Ars. Após o almoço, o Cura d’Ars disse: “Você seria gentil o suficiente para ouvir minha confissão?” O jovem padre quase caiu da cadeira diante da súplica do Cura D’Ars de confessar este padre admirável, com uma reputação de santidade. Santos se confessam! E aqueles que se confessam se tornam Santos.

Por fim, Nossa Senhora de Fátima disse: “Rezai, rezai muito e façam muitos sacrifícios que vão muitas almas para o inferno, porque ninguém reza e faz sacrifícios por elas.” Contínua e diária deve ser a oração que ela nos ensinou: “Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas para o Céu, especialmente as que mais precisarem da Tua misericórdia.”

[1] Em 30 de março de 1997, Domingo de Páscoa, às 12h00, o Padre Marcel Nault foi chamado a partir desta vida terrena para a presença de Deus, a quem amou e serviu com devoção profunda. Nascido 3 de março de 1927 em Montreal, Quebec, Canadá, sua vocação foi relativamente tarde. Ele foi ordenado sacerdote diocesano em 04 de março de 1962, um dia após seu aniversário de 35.

Fonte: http://www.reinadelcielo.org

 O Padre Marcel Nault, o Padre Nicholas Gruner e o Padre Victor Soroka

por euvimparaquetodostenhamvida

Cardeal Rivera: Sociedade que ataca a família se destrói.

 

Cardeal Norberto Rivera

Cidade do México, 05 de março de 2012 / 16:20 (ACI\EWTN News)

O Arcebispo do México (México), o cardeal Norberto Rivera Carrera, disse que a família é o berço da vida e advertiu que se a sociedade não a proteger, está condenada a destruir-se a si mesma.

“Nós temos de lutar para impedir que uma mentalidade difusa sacrifique a família no altar do consumismo, ddo o egoísmo e individualismo. Porque uma sociedade que destrói as suas famílias é uma sociedade condenada a destruir-se a si mesma”, disse ele durante a celebração da Dia da Família, que no México é realizada no primeiro domingo de março.

O cardeal disse que “há sinais de nossa sociedade que são sinais de morte que a família tem que enfrentar”, como é o aumento do divórcio devido a uma errada concepção da comunidade conjugal.

Perdeu-se “o sentido da verdade do casamento pela inião livre, divórcios e uniões homossexuais”, disse ele.

O Arcebispo do México, disse que “também sobe o número de abortos, pois com a morte da família, se vai também para a morte do ser humano. Quanto menos sólida estiver a familia, mais desprotegida fica a vida do ser humano” .

Diante disso, lembrou que no final de maio será realizada em Milão (Itália), o VII Encontro Mundial das Famílias, que terá como objetivo “a necessidade da nossa sociedade de uma cultura da vida, de uma cultura do humano, de uma cultura da pessoa, de uma cultura de comunidade “

A homilia está completa em http://www.siame.mx/apps/aspxnsmn/templates/?a=7017&z=32

Leia mais: http://www.ewtnnoticias.com/noticias-catolicas/noticia.php?id=25023 # ixzz1oHd6YBTm

 

por euvimparaquetodostenhamvida

Como é que funciona a pílula do dia seguinte.

Como é que funciona a pílula do dia seguinte

São descritos três mecanismos:

1. Impede a maturação da ovulação, e a saída do óvulo do ovário
(efeito de supressão da ovulação)

2. Dificulta o transporte de espermatozóides
(efeito contraceptivo)

3. Impede a implantação do embrião no útero
(efeito ante-implantação)

O último mecanismo é largamente baseada na ante-implantação, não só pelo mesmo fabricante (1), mas por uma extensa bibliografia. Mas conhecendo um pouco da fisiologia reprodutiva feminina, podemos perceber isso.

Basta lembrar que o esperma, quando depositado na vagina, pode demorar de 2-3 horas a 4 dias para subir na terça parte externa da trompa de Falópio e fertilizar o óvulo.

Imagine uma mulher que tem relações sexuais numa noite, e horas antes havia ovulado. No dia seguinte, vai à farmácia ou ao médico, para fornecer-lhe os dois comprimidos da pílula do dia seguinte. Como a pílula age nesse caso?

É evidente que o esperma, tendo passado várias horas é capaz de fertilizar o ovo, e que uma nova vida humana tenha tido lugar.

A pílula, neste caso, não impede a ovulação, ela já ocorreu. Nem poderia impedir quantidade de esperma para o tubo para fertilizar o óvulo.

Qual é o propósito de levá-lo então? Destruir ou matar o ser humano recentemente concebido, impedindo que o embrião se implante no revestimento do útero. Se o embrião morre, não pode haver gravidez.

Como você faz? Os totais de dois comprimidos contêm uma dose excessiva do hormônio levonorgestrel, em uma dose 50 vezes maior do que a de um minipílula normal (2). Uma tal carga de hormônios é uma agressão real sobre a maturação do revestimento interno do útero, o endométrio.

CONCLUSÃO

Com o uso da pílula do dia seguinte, dentro de 24 ou 72 horas após a relação sexual, pretende-se que, se a fertilização ocorreu, o ser humano concebido vêm se aninhar no útero e morre, sendo expulso do corpo da mãe.

JUVENTUDE Liderança Escolar (CEPROFARENA)

1. O mecanismo reivindicado pelos fabricantres ante-implantação. Veja prospecto

http://www.grunenthal.com/wwwgrt/template/spa/indication/
cl/products_gynaecology.jhtml?ElementId=/
wwwgrt/content/products/xml/cl/postinor2.xml

2. A pílula do dia seguinte contém 0,750 mg, tais como dois comprimidos em dias sucessivos, a dose hormonal é 0,750 x 2 = 1,500 mg, 50 vezes maior do que 0,030 mg do Microlut minipílula.

Pense o que aconteceria se uma pessoa administrásse uma dose do hormônio da tireóide 50 vezes maior do que o necessário ou insulina, os efeitos seriam catastróficos.

por euvimparaquetodostenhamvida